AFETO

DO QUE
A AFETO
É FEITA

A agência nasceu com outro nome, mas dizem que já era Afeto pelo modo como escolhi trabalhar. Quando precisei trocar, eu quis um nome curto, simples, que significasse ou remetesse aos valores que, mesmo não tão expostos, são intrínsecos à agência. Aquilo que a gente sente no dia a dia, quando o trabalho não tá gostoso, quando a gente tá duvidando da própria capacidade, mas tem aquela coisinha que diz “ok, é por isso que eu tô aqui”.

Quando rabisquei o brainstorming em um caderno, foi a primeira palavra que coloquei depois de pensar no que eu esperava que o nome representasse, porque também não queria que fosse sobre texto ou comunicação. O que fazemos aqui (no plural, porque eu nunca tô sozinha de verdade) vai além disso. É puxar orelha de autor, é lembrar que acreditamos nele, nos irritar com o mercado, ficar indignados juntos e sempre nos perguntar por que estamos nessa. Definitivamente é muito, muito mais do que texto e livro pronto.

Eu conto com muita gente me ajudando. Dos autores com quem trabalho e aprendo todos os dias aos profissionais talentosos e sempre tão dispostos a fazer um pouquinho mais pelo mercado. É tudo na colaboração, na troca, no crescer juntos e no manter por perto quem, além de fazer um bom trabalho, faz com muito respeito por cada um com quem cruza no caminho.

A Afeto meio que sempre foi Afeto mesmo. Pra você que chegou até aqui comigo, muito obrigada! Saiba que sua mão me ajudou a levantar muitas vezes. Pra você que tá chegando, seja bem-vinde! Entra, aceita um café? Aqui tem reuniões longas que viram sessões de terapia com fofocas, áudios com puxões de orelha, uma agente que dizem que tem cara de brava, mas ri de tudo e é muitíssimo honesta e, bem, tem muito, mas muito afeto.

cópia de IMG_2499 cópia

QUEM FAZ
A AFETO

Suellen Roman, que prefere ser chamada de Suh, é paulistana e só é formada publicitária porque não sabia que ser fã desde que se entende por gente poderia render alguma profissão. Só descobriu que sim quando se formou e entendeu que o melhor cliente é justamente o fã. Começou no mercado editorial ajudando a melhor amiga com o que sabia de marketing, fazendo capas e diagramação e, de repente, já tinha sido sugada por esse universo. Em 2017 começou o projeto que deu origem à Rainbow Comunicação, uma agência de comunicação para ajudar escritores a se relacionarem melhor com seu público. Atualmente é sócia no Clube P.S.:, um clube de assinatura literária, e presta assessoria literária para outras agências enquanto gerencia a Afeto Agência Literária. Ah, e continua sendo fã.

MISSÃO

Profissionalizar e dar voz a autores nacionais por meio de ferramentas, técnicas e estratégias aplicadas à realidade de cada um.

VISÃO

Renovar o mercado editorial com a inserção de profissionais capacitados que componham grupos minoritários no que são considerados os padrões normativos.

VALORES